Engenheira fala sobre desafios da construção com madeira

28 de julho de 2017

Professora da USP, Akemi Ino, fará a palestra de abertura do 4º Simpósio Madeira & Construção, em setembro, em Curitiba (PR)

Com uma experiência de 30 anos na área de projetos e construção com madeira, a professora do Instituto de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (IAU-USP) Akemi Ino já enfrentou muitas barreiras e dificuldades para disseminar a madeira como material construtivo. Ao longo dos anos, ela desenvolveu inúmeras pesquisas na área e trabalhou para quebrar o preconceito que existe em torno da madeira, tentando mostrar o quão valiosa é esta matéria-prima e o potencial excepcional que tem. Para ela, a madeira é uma das melhores opções pra construção civil e, por isso, o seu uso precisa ser incentivado. Para sensibilizar os profissionais e estudantes para a dimensão da importância do material, a professora fará a palestra de abertura do 4º Simpósio Madeira & Construção, que acontece entre os dias 20 e 21 de setembro, no auditório do Centro de Ciências Florestais e da Madeira (Cifloma), localizado no campus Jardim Botânico da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

“Vou contar a minha experiência, a experiência de pesquisar madeira e de fazer projetos utilizando esse material. Também vou falar sobre os sucessos e os insucessos, mostrando que este é um campo desafiador e bastante atual. Quando comecei a trabalhar nesta área, dizia que a madeira era o material do futuro. Agora, tenho certeza que esse é o material do presente e, de fato, o planeta e a construção civil precisam marcar presença com esse material. Vou mostrar minhas pesquisas e intervenções, as ações na realidade social. Quero incentivar os estudantes e profissionais e mostrar que vale a pena enfrentar os desafios para utilizar a madeira, pois o mercado e a sociedade necessitam disso”, destaca.

Para que a madeira se torne mais popular, Akemi afirma que é preciso continuar o trabalho de incentivo, pois o mercado de construção ainda está preso aos velhos paradigmas da construção, ao método convencional. A professora ressalta que o objetivo dela não é tirar o concreto, o aço ou o cimento da construção, mas, sim, mostrar a opção mais positiva, para que todos possam compreender essa mensagem. Segundo ela, especificar madeira e seus derivados nos projetos é uma forma de inovação, pois inovar é aplicar o que existe de mais tecnológico no mundo e que pode trazer grandes contribuições para o mercado e também para o meio ambiente.

Para isso, ela reforça que os profissionais que especificam a madeira precisam ter conhecimento, segurança e garantia de que o material é realmente viável, e isso exige formação mais consistente. De acordo com a professora, os estudantes estão sentindo falta desse tema nas universidades, já que a informação hoje é muito acessível. Ela comenta que os acadêmicos estão atentos às mudanças tecnológicas, às mudanças climáticas etc e acompanhando o que está acontecendo nos países desenvolvidos e a forma como as escolas de Arquitetura e Engenharia estão encarando toda essa discussão.

“Acredito que estamos prestes a dar um salto, pois os estudantes estão se esforçando para serem profissionais aptos a projetarem com madeira. Também existe muito preconceito com relação à madeira. Mas nós, que temos o conhecimento, precisamos disseminá-lo, divulgar a viabilidade real, e os estudantes estão precisando disso e estão pedindo. Precisamos mostrar que existe tecnologia e que pode especificar a madeira, sim. Que é um material seguro, desde que o tenha controle da execução e da especificação. Por isso o conhecimento é fundamental”, comenta.

Ainda segundo Akemi Ino, outro desafio para que o tema possa avançar é fazer a integração da cadeia como um todo: o setor produtivo precisa pensar em florestas para o uso na construção civil, produzindo madeira que atenda às exigências de qualidade para esse fim; e o segmento acadêmico precisa formar profissionais em todas as áreas, desde o manejo florestal e plantio até o processo de produção na serraria. De acordo com a professora, um grande problema é que muitas vezes os arquitetos e engenheiros especificam a madeira, mas não encontram produto de qualidade ou mão de obra especializada. Por isso, ela sugere que deve haver uma “integração total”.

“Não é um desafio simples, mas acho que estamos caminhando. Temos uma base, agora precisamos dar outro passo para o uso da madeira. Por isso, ter um evento como o Simpósio Madeira & Construção é fantástico, essencial e imprescindível. O estado do Paraná está à frente de qualquer outro Estado nessa discussão. Em São Paulo, por exemplo, o setor industrial não está organizado, enquanto que o Paraná está organizado e pensando em ações. Esse encontro é uma excelente oportunidade para todos, porque não fica focado somente nos acadêmicos discutindo o ideal, mas reúne profissionais e também o mercado, o que é uma excelente e necessária articulação. Fiquei muito honrada em ser convidada a participar”, completa.

Programação

Além da palestra da professora Akemi, o Simpósio contará com a participação de Ricardo Dias, da Universidade Estadual de Maringá (UEM), que vai abordar o tema “Suprimento de madeira”; do engenheiro Alan Dias, da empresa A Carpinteria, e do arquiteto Gabriel Kogan, do Studio MK27, que irão mostrar todos os detalhes de um projeto em madeira que desenvolveram em conjunto.

No dia 21 de setembro, os participantes poderão acompanhar ainda as palestras da arquiteta Leiko Motomura sobre o tema “Conforto ambiental”, para mostrar a relação do homem com os biomateriais; do professor Calil Neto, da Universidade de São Paulo (USP), que irá falar sobre “Madeira engenheirada”; Cristina Xavier e Hélio Olga apresentarão o projeto da “Vila Taguaí”. Para fechar a programação, será apresentada a proposta do “Núcleo em Tecnologia da Madeira”.

Oficinas

Na programação deste ano está prevista ainda a realização das oficinas: telhado verde, cavaletes de madeira, encaixe de madeira e tratamento, que serão realizadas na parte da tarde do dia 20 de setembro. Os interessados poderão fazer a inscrição no primeiro dia do evento.

As inscrições para o Simpósio poderão ser feitas, em breve, pelo site do evento: www.expomadeira.com.br/

Serviço

4º Simpósio Madeira & Construção
Data: 20 e 21 de setembro
Local: Auditório do Cifloma – campus Jardim Botânico da UFPR – Av. Prefeito Lothário Meissner, 632 – Jardim Botânico, Curitiba (PR)
Informações e inscrições: www.expomadeira.com.br/

Por Maureen Bertol para o Portal Madeira e Construção

Compartilhe
Voltar para Notícias

Cadastre seu email e receba nossa newsletter