Brasil tem primeiro prédio em wood frame

26 de agosto de 2016

Empreendimento de três pavimentos construído pela Tecverde e CRM Construtora em Araucária, no Paraná, foi montado em 40 horas  

A construção civil brasileira passa ter um novo marco na sua história. No último dia 24, o município de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba (PR), protagonizou a entrega do primeiro edifício construído com a tecnologia sustentável wood frame do país. A montagem do prédio de três pavimentos durou 40 horas, com jornadas de oito horas de trabalho diárias. O empreendimento da Tecverde feito em parceria com a CRM Construtora tem duas torres de edifícios e faz parte do programa Minha Casa Minha Vida.

O sistema construtivo utilizado pela Tecverde está aprovado pelo Ministério das Cidades e foi, inclusive, premiado internacionalmente por estar empregando ao setor um modelo mais eficiente e sustentável de construir no país. De acordo com a empresa, já foram mais de 85 mil m² construídos, de casas do Minha Casa Minha Vida a casas de alto padrão, e mais de 10 mil famílias morando em casas eficientes. A montagem inaugura um novo ciclo para empresa, que recentemente recebeu investimento internacional para ampliar a sua atuação no país.

“Esta é a forma mais moderna que existe para se construir no mundo, com tecnologia de ponta, agilidade e economia. É o que nosso país precisa para sair da crise imobiliária e estamos orgulhosos de proporcionar isso ao Brasil”, comemora Caio Bonatto, sócio-fundador e CEO da Tecverde.

Segundo o gestor executivo da MRV, José Roberto Pereira de Lima, é fundamental a migração da construção civil para novas e sustentáveis tecnologias. “É um avanço, não podemos andar pra trás. Já estamos realizando um condomínio de sobrados com a Tecverde em Suzano, São Paulo, e agora vim de São Paulo ver esta grande novidade. É muito importante em vários fatores, principalmente na sustentabilidade e velocidade da obra”, afirma Lima.

A Casa Alta Construtora também validou o sistema. “Um dos pontos principais que validam este sistema é sua rapidez, sem dúvidas. A qualidade é altíssima superando inclusive a alvenaria. Países desenvolvidos já usam há anos e com sucesso, então não tem sentido um país como o Brasil ainda não adotar. Inovar e buscar novos resultados são muito importantes na construção”, declara Juarez Wieck, presidente da Casa Alta Construtora.

Para o superintendente da Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente (Abimci), Paulo Pupo, as indústrias da construção e de madeira estão diante de novas oportunidades. “Precisamos entender e capitalizar o momento, para consolidar esse método construtivo eficiente e inovador. Mas, para isso, será necessário que os fabricantes de madeira se preparem para atender as exigências técnicas do mercado. Há uma chance real de aumentarmos o consumo per capita de madeira no mercado interno”, afirma.

Na avaliação da Abimci, o lançamento do prédio vem em um momento estratégico. “A ação reforça a importância do desenvolvimento da norma técnica para o sistema wood frame”, acredita Pupo. O trabalho para criação da norma está sendo coordenado pela Associação juntamente com o Sinduscon-PR e a Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), além da participação de diversos atores envolvidos no assunto.

Experiência

O lançamento do empreendimento reuniu mais de 200 profissionais, empresários e entidades do setor da construção de todo o país, que puderam visitar a obra e a fábrica da Tecverde. Em um dos prédios foi possível conferir de perto a eficiência e qualidade do sistema construtivo por meio de explanações de técnicos e de experimentos, além de acompanhar a montagem em tempo real do último pavimento de um dos edifícios.

De acordo com a equipe técnica da Tecverde, a tecnologia utilizada em edifícios multifamiliares com até quatro pavimentos segue os padrões internacionais e atende às normas brasileiras quanto ao desempenho estrutural, incêndio, impermeabilização e conforto termoacústico. O sistema apresenta performance e durabilidade iguais ou superiores aos sistemas convencionais, tendo durabilidade superior a 50 anos sem grandes manutenções. A tecnologia Tecverde para casas e sobrados já é financiada desde 2012 pela Caixa Econômica Federal e outros bancos.

“A entrada no mercado vertical vai ao encontro da visão da empresa de se tornar a maior fornecedora de habitações residenciais no mercado nacional, sempre buscando tornar o setor da construção civil mais industrializado e sustentável”, explica José Márcio Fernandes, diretor de tecnologia da Tecverde.

Compareceram ao evento de lançamento diretores de grandes construtoras como MRV, Casa Alta e Rodobens, bem como parceiros de grandes entidades como da Caixa Econômica Federal, Sinduscon-PR, Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC), Instituto Falcão Bauer, Cohapar, Associação Brasileira da Indústria de Madeira (Abimci), entre outros.

Déficit habitacional

Na avaliação da Tecverde, há no mercado internacional uma tendência para aplicação de tecnologias que tornem as edificações mais sustentáveis, desde o sistema construtivo aplicado com base em recursos renováveis até um aumento na automação destas edificações. Para a empresa, baseado nessa tendência e sabendo da realidade brasileira quando o assunto é moradia, a intenção é promover a sustentabilidade e democratizar o acesso a edifícios construídos com tecnologia inovadora. Entre as vantagens apontadas pela construtora estariam a eficiência do processo de montagem e o impacto ambiental.

Por Juliane Ferreira com informações da Assessoria de Imprensa da Tecverde
Fotos: Divulgação Tecverde

Compartilhe
Voltar para Notícias

Cadastre seu email e receba nossa newsletter