Cadeia construtiva debate oportunidades para o uso da madeira no Brasil

1 de Abril de 2019

Evento promovido pelo Núcleo da Madeira foi o primeiro de uma série de ações programadas para 2019

Com a presença de profissionais de diferentes regiões do país, como São Paulo, Santa Catarina e Distrito Federal, o primeiro curso de 2019 organizado pelo Núcleo de Referência em Tecnologia da Madeira, em março, em São Paulo (SP), promoveu uma discussão rica em torno das perspectivas para o uso da madeira engenheirada no mercado brasileiro.

Na avaliação do arquiteto Marcelo Aflalo, coordenador do Núcleo, a capacitação permitiu aos profissionais entender as oportunidades e as vantagens que produtos engenheirados de madeira podem trazer para as obras. “Focamos nesse módulo de abertura em uma ampla visão das tecnologias industriais ligadas ao desenvolvimento de produtos estruturais de madeira, conhecidos como madeira engenheirada. Prevendo um público heterogêneo, o curso evitou o aprofundamento em questões técnicas e preferimos enfatizar a produção e o uso desses produtos levantando uma discussão sobre a viabilidade e a propriedade dessas tecnologias no nosso mercado”, afirma Aflalo, que há anos tem se envolvido em projetos e ações com intuito de disseminar o uso da madeira na construção civil brasileira.

A capacitação permitiu ainda o apontamento de algumas provocações para ampliar o debate. “Estamos preparados? Vale o investimento? Precisamos dessas tecnologias? Qual o caminho a seguir baseado em nossa capacitação e mercado? Essa discussão faz sentido quando se analisa a cadeia como um todo e como organizá-la em torno de metas comuns”, explica o coordenador do Núcleo.

Para o engenheiro Hélio Olga, um dos palestrantes do curso, a madeira tem um papel fundamental na industrialização da construção, por isso, o curso abordou questões como produtos industrializados feitos com a madeira, as suas origens, processos de fabricação, características, desempenho e recomendações, mas levando em conta o contexto brasileiro. “A experiência em mais de 40 anos com madeira de diferentes origens permitiu traçar um panorama muito claro sobre como e para onde crescer. A vivência com o produto florestal nativo foi importante para aprender e para construir um mercado, mas também expôs o lado complicado das matas nativas como a origem, a sazonalidade, a distância, a falta de homogeneidade e baixo aproveitamento de certas espécies”, avalia o engenheiro, sócio da Ita Construtora, uma das empresas associadas ao Núcleo.

O engenheiro lembra que para demonstrar porque chegamos à laminação com eucalipto para construir uma produção industrializada, “foi fundamental entender como a economia de escala e o uso de soluções híbridas terá um papel relevante no nosso futuro imediato”.

helio olga

Engenheiro Hélio Olga

A intenção do Núcleo é levar esse curso para outras localidades, já que o interesse foi grande. Além disso, já está sendo preparado o segundo módulo para os profissionais que participaram desta primeira edição.

O Núcleo

O Núcleo nasceu no âmbito do Programa Madeira É Legal , que recentemente  completou 10 anos, uma vez que o Programa, que tem um viés político e institucional, necessitava de um ente independente que teria como propósito uma abordagem mais técnica e mercadológica, reunindo representantes deste segmento para divulgar e demonstrar a viabilidade do uso sustentável da madeira na construção, além de dar suporte ao próprio setor. Para isso, a instituição – que não tem fins lucrativos – deseja conectar todos os pontos desta cadeia, desde empresas de base florestal, indústria madeireira, construtoras e outras empresas relacionadas, para reunir e mediar informações.

As ações do Núcleo são norteadas a partir de cinco Comissões Técnicas: Florestas, Componentes, Educação, Projeto e Construção. Cada comissão tem um coordenador técnico e grupos de trabalho específicos para temas como madeiras nativas, florestas industriais, divulgação, revisão de normas, formação profissional, mercado, legislação e madeira legal.

O Núcleo já está recebendo empresas e pessoas físicas que queiram se associar a entidade. Para saber mais: www.nucleodamadeira.com.br.

Por Interact Comunicação e Assessoria de Imprensa

Compartilhe
Voltar para Notícias

Cadastre seu email e receba nossa newsletter