Chicago entra na corrida por arranha-céu em madeira

19 de outubro de 2017

A proposta de um projeto nos Estados Unidos mostra o contínuo fascínio e investimento em uma nova geração de prédios em madeira

Em uma cidade povoada com torres e arranha-céus inovadores, o projeto River Beech, se concretizado, pode ganhar seu próprio capítulo na história das maravilhas arquitetônicas de Chicago, nos Estados Unidos. Isso porque seu plano de uma torre de 80 andares, um projeto de pesquisa conjunto entre a Cambridge University, Perkins + Will e Thornton Tomasetti, propõe um edifício alto em madeira, um marco no desenvolvimento acelerado da madeira de alta tecnologia como um novo tipo de material de construção do século 21.

“Eu não acho que há um limite de altura”, diz Andy Tsay Jacobs, diretor do Laboratório de Tecnologia de Construção do escritório de arquitetura Perkins + Will, que tem colaborado na proposta do River Beech. “A resposta é sim, pode haver 80 andares em madeira, sem problemas. Há mais questões a serem tratadas sobre o código de construção do que sobre a parte técnica.”

De acordo com Jacobs e seu colega Todd Snapp, arquiteto e diretor do escritório Perkins + Will em Chicago, esse é um projeto sério que representa a crença da empresa no material e no potencial de uma nova geração de torres altas em madeira. Feito para se encaixar no projeto Riverline, um empreendimento gigante em frente ao rio, apesar de não ser parte da proposta (é mais para lhe dar um lugar no mundo real e circunstâncias para mostrar o design), a estrutura de 80 andares de madeira de faia será a mais alta torre de madeira do mundo, se completada.

Outros vêm fazendo apostas similares na nova geração de edificações de madeira por anos. Projetos estão brotando pelo país, inclusive em Nova York, Mineápolis e no Noroeste do Pacífico, onde o arquiteto canadense Michael Green se tornou um dos primeiros designers de estruturas altas em madeira e seu projeto Framework, um edifício em madeira com 44 metros de altura em Portland, recebeu luz verde no começo do ano. Do outro lado do Atlântico, Estocolmo, na Suécia, está estudando o Trätoppen (“Topo da árvore”, em português), com 40 andares, enquanto o PLP Architects propôs um “plyscraper” (em português, um arranha-céu feito em madeira) para a Holanda.

 

chicago riverbeech

O design diagrid (exoesqueleto em aço) único da estrutura foi criado para maximizar as qualidades estruturais da madeira. | Perkins + Will

 

Começando com o Stadthaus, um edifício de nove andares localizado em Londres e construído em 2008, tanto a Europa quanto a América do Norte têm sido os locais de inúmeros experimentos e avanços na construção de madeira de alta tecnologia. Muitas vezes, as estruturas são construídas com madeira laminada cruzada, uma série densa de placas de madeira comprimidas que fornecem suporte estrutural com uma menor pegada de carbono.

O projeto do River Beech segue outras propostas e pesquisas que se destinam a incentivar as construções altas em madeira, incluindo uma proposta do escritório Skidmore, Owings & Merrill para construir um arranha-céu em madeira. De acordo com Snapp, a diferença do River Beech é que os designers começaram do zero e focaram em edificar e projetar a melhor torre de madeira possível (o plano buscou recriar uma estrutura tradicional de concreto com madeira).

Enquanto ainda está nos estágios iniciais de pesquisa, o plano do River Beech mostra a visão de um futuro que muitos arquitetos e engenheiros sentem que não está tão longe, como muitos pensam. Desde que foi apresentado pela primeira vez, no ano passado, o projeto tem sido ajustado e atualizado, e Tsay Jacobs acredita que é apenas uma questão de testar e atualizar os códigos de construção para que a madeira se torne uma parte comum da construção.

“A madeira maciça pode ter uma pegada de carbono negativa”, diz Jacobs. “Isso está sendo construído com um recurso natural renovável. Você não pode replantar o minério ou as rochas que você está extraindo para fabricar aço e concreto.”

chicago riverbeech

Texto original de Patrick Sisson (curbed.com), com tradução de Hellen Guareschi para o Portal Madeira e Contrução

 

Compartilhe
Voltar para Notícias

Cadastre seu email e receba nossa newsletter