Diagnóstico de inovação

31 de Janeiro de 2018

Indústrias do setor madeireiro do Paraná podem participar da 4ª Bússola da Inovação, iniciativa que pretende promover a cultura da inovação nas empresas

O Sistema Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) inicia nesta quinta-feira, 1,  a 4ª edição da Bússola da Inovação. Indústrias do setor madeireiro paranaense podem participar preenchendo um formulário que avalia as práticas de inovação da empresa. A ferramenta entrega um diagnóstico imediato e personalizado, resultado da reflexão do participante sobre sua realidade de negócio.

A participação tem custo zero para a empresa, com total subsídio do Sistema Fiep. O propósito é promover a cultura de inovação, sensibilizando as indústrias para a questão e indicando alguns passos iniciais para aumentar a produtividade e competitividade.

Os resultados permitem ao Sistema Fiep melhorar e readequar os serviços de inovação oferecidos ao setor industrial com base na prática, no dia-a-dia dos problemas organizacionais.

Para participar basta acessar o site  bussoladainovacao.org.br.

Bússola da Inovação

Na edição 2017, 503 empresas paranaenses de 19 setores, de 91 cidades, participaram da pesquisa. O número foi 13,8% maior que o da primeira edição da pesquisa, realizada em 2012.

Indústrias do setor de madeira como Klabin (Telêmaco Borba), Tecverde (Araucária), Caemmun Movelaria (Arapongas) e Tropiso (Maringá) participaram da iniciativa. O maior incentivo à participação nas pesquisas é o retorno imediato que a empresa tem. “Ao responder a pesquisa, a empresa recebe um diagnóstico personalizado na hora”, explicou Marília Souza, gerente dos Observatórios do Sistema Fiep, no evento de apresentação dos resultados do ano passado. Esse diagnóstico informa o que a empresa pode fazer para melhorar nas áreas em que teve baixo desempenho e também pode ajudar a validar ações já em curso — ou seja, fornece parâmetros para mensuração.

A edição do ano passado foi a primeira na qual a Fiep não deu ênfase a um indicador geral do nível de inovação da indústria paranaense. Os dados consideraram dez dimensões: gestão da inovação, resultados na inovação, captação de recursos, investimentos, atividades de inovação, interação externa, métodos de proteção, ambiente interno, pesquisa e desenvolvimento, informação e conhecimento.

Das 10 dimensões analisadas, destaca-se a avaliação do ambiente interno das empresas com a maior nota (2,77 em uma escala de 0 a 4). “As empresas criam um ambiente interno favorável à inovação. Elas buscam criar ambiente de parceria, colaboração entre os setores da empresa. Isso traz um resultado bem melhor que a maioria das outras dimensões”, explicou Marília. As dimensões de resultados da inovação e informação e conhecimento também tiveram resultados expressivos, com notas 2,37 e 2,54.

Os resultados do ano passado, no entanto, demonstraram que as inovações apresentadas pela indústria paranaense ainda resolvem questões pontuais dentro das próprias empresas. Assim, um dos desafios listados pela Fiep para melhorar esse indicador é estimular as empresas ao desenvolvimento de inovações mais abrangentes, que alcancem escala nacional e até mundial.

 

Por Portal Madeira e Construção com informações da Fiep

Compartilhe
Voltar para Notícias

Cadastre seu email e receba nossa newsletter