Emoção radical em madeira

16 de junho de 2016

Provando que a madeira é forte e resistente para qualquer projeto, parques de diversões ao redor do mundo utilizam esse material para construir montanhas-russas altas e velozes

Quem nunca ouviu alguém dizendo que a madeira é um material frágil e de baixa resistência? Esse é um dos grandes mitos que circulam nas rodas de conversa quando o assunto é construção com madeira. Afinal, será que se elas fossem tão frágeis assim, seriam capazes de suportar o peso de uma montanha-russa e a velocidade dos trens desse brinquedo radical? Um parque nos Estados Unidos, por exemplo, o Six Flags Great America, inaugurou, em 2014, a montanha-russa de madeira mais alta do mundo – 55 metros, com queda mais íngreme – 85 graus, e a de percurso mais rápido, podendo atingir até 116 km/h. Já imaginou?

Aqui no Brasil também existe uma opção desse brinquedo radical em madeira. É a Montezum, localizada no Hopi Hari, em São Paulo (SP). A atração figura na lista das 10 montanhas-russas “mais sensacionais” do mundo, é considerada a maior em madeira da América Latina e a maior do Brasil em extensão, altura, queda e velocidade. Chegando a 103 km/h, ela é a única em operação na América do Sul.

 Maior montanha russa de madeira da América Latina. Localizada em Vinhedo/SP. Foto divulgação

Maior montanha russa de madeira da América Latina. Localizada em Vinhedo/SP. Foto divulgação

 

Mas engana-se quem pensa que essas são as únicas opções construídas com madeira, que é um material renovável e, como se pode constatar agora, forte e resistente também. Nos Estados Unidos existe, ainda, a Outlaw Run, que fica no parque Silver Dollar City. Essa tem a segunda maior queda e também ocupa o segundo lugar no ranking entre as mais rápidas, com 49m de altura e uma velocidade que chega a 109 km/h. Se não bastasse tudo isso, essa montanha-russa ainda tem inversões.

Um pouco mais longe daqui, na Europa, onde as construções com madeira de modo geral, assim como nos Estados Unidos, são bastante populares, existe a The Cú Chulainn Coaster, que fica no Tayto Park, localizado na Irlanda. Essa é a montanha-russa mais alta do continente e foi inaugurada em maio do ano passado, com 32 metros de altura, queda de 28 metros e com velocidade de até 60 km/h. No Japão também existe uma: no Nagashima Park foi construída a White Cyclone, com 42 metros de altura e que atinge uma velocidade de até 102 km/h.

White Cyclone, no Japão, com 42 metros de altura  Foto: divulgação

White Cyclone, no Japão, com 42 metros de altura
Foto: divulgação

Em breve, a lista de opções de montanhas-russas em madeira ao redor do mundo vai aumentar. O parque de diversões Dollywood, nos Estados Unidos, inaugurou, em maio, a Lightning Rod, que poderá ser a montanha-russa em madeira mais veloz do mundo, chegando a 117 km/h. Ela ainda não está recebendo visitantes. Para 2017, o parque Busch Gardens Williamsburg, também nos Estados Unidos, vai inaugurar a oitava montanha-russa do local, e a primeira em madeira. A novidade é que os fãs estão ajudando a escolher os detalhes da atração. No momento é possível votar para escolher o nome do brinquedo, entre as opções “Viking Raider”, “InvadR” ou “Battle Klash”.

É ou não é possível ir muito além com madeira? Cada vez mais os projetistas provam que sim!

Por Maureen Bertol para o Portal Madeira e Construção

Compartilhe
Voltar para Notícias

Cadastre seu email e receba nossa newsletter