Estrutura de madeira recebe menção honrosa em concurso para pavilhão do Brasil na Expo 2020 em Dubai

19 de dezembro de 2018

Projeto foi elaborado pelo arquiteto André Scarpa em parceria com a equipe do escritório Oyapock Arquitetos

Uma das propostas para o pavilhão do Brasil na Expo 2020 em Dubai – uma grande exposição internacional que reúne os mais diferentes setores a cada cinco anos – contemplava a madeira para mostrar a relação entre o homem e a natureza. Este projeto, elaborado pelo arquiteto André Scarpa em conjunto com uma equipe de profissionais do escritório Oyapock Arquitetos, participou de um concurso lançado para escolher o pavilhão que vai representar o País em uma das principais feiras do mundo.

(Foto: Oyapock Arquitetos)

O concurso foi organizado pelo Instituto dos Arquitetos do Brasil, seção Distrito Federal (IAB-DF), e o resultado foi divulgado pela Agência Brasileira de Promoções de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil) no mês de dezembro. O projeto de André Scarpa e Oyapock Arquitetos recebeu menção honrosa. O grande vencedor foi o arquiteto José Paulo Gouvêa.

Na proposta de Scarpa, o pavilhão era composto de estrutura modular de madeira, revestida com uma variedade de cortinas e telas, acompanhadas por efeitos de luzes. Dentro dele, o objetivo era mostrar a diversidade do País, tanto na sua cultura quanto em sua paisagem.

(Foto: Oyapock Arquitetos)

Conforme a descrição do projeto pela equipe da Oyapock Arquitetos, houve a proposta de “uma ideia de Brasil pautada pela vontade de superar a histórica dicotomia entre o homem e a natureza, para transformá-la em simbiose. Afinal, o Brasil, que surgiu com a linha abstrata de Tordesilhas, dilatou-se, moldou-se ao imenso território que hoje abriga a maior biodiversidade do planeta”. Os profissionais ressaltam que o País “busca uma travessia de equilíbrio, que traga desenvolvimento ao seu povo e contribua com a criação de relações sustentáveis para toda a humanidade”.

O projeto contemplou um pavilhão, de acordo com a equipe, baseado na oportunidade de mostrar aos outros povos e aos próprios brasileiros que “há não apenas esperança, mas, sobretudo, exemplos concretos de que o presente pode converter-se em outro futuro, conforme o documento final da Rio+20, ‘o futuro que queremos’”.

(Foto: Oyapock Arquitetos)

Concurso

Para participar do concurso, os projetos deveriam seguir as temáticas e os guias técnicos estabelecidos pela organização da Expo 2020, com as normativas legais de construção na cidade de Dubai, e em parceira com profissionais locais. Segundo informações da Apex-Brasil, a seleção teve como base a inovação tecnológica alinhada à sustentabilidade, evidenciada no processo de construção e desmontagem da estrutura.

O concurso teve a participação de 42 escritórios de arquitetura. Os projetos foram analisados por uma comissão julgadora coordenada pelo IAB-DF, formada por três jurados brasileiros e dois estrangeiros.

A Expo 2020 terá o tema Connecting Minds, Creating the Future e três eixos temáticos: Oportunidade, Mobilidade e Sustentabilidade. De acordo com o material de divulgação da Apex-Brasil, o Pavilhão do País vai fazer parte deste último eixo temático, “reafirmando a importância da biodiversidade, da cultura da preservação do meio ambiente, da competitividade baseada na sustentabilidade e no retrato da multiculturalidade brasileira”.

Por Portal Madeira e Construção com informações da Apex-Brasil, Oyapock Arquitetos e Design Boom

Compartilhe
Voltar para Notícias

Cadastre seu email e receba nossa newsletter