Exposição mostra a construção com madeira nos EUA

14 de Fevereiro de 2017

A jornalista Amanda Hurley, do The Architects Newspaper, conta a experiência ao visitar a exposição Timber City, que segue aberta ao público até o dia 21 maio no Museu Nacional da Construção em Washington

Mesmo com as ideias mais modernas rondando as nossas cabeças, como a possibilidade de andarmos em carros de robô ou comermos carne cultivada em laboratório, um arranha-céu construído em madeira ainda parece estranho, mas não se sabe exatamente o motivo. A madeira é um dos materiais de construção mais resistentes e ao mesmo tempo mais versáteis do mundo. Ela tem um único ingrediente bruto que não requer energia intensiva para produzir: árvores. No Japão, por exemplo, o recinto do Templo Horyuji tem estruturas de madeira que estão de pé desde o ano 700. As igrejas de madeira com cúpula na Ilha de Kizhi, na Rússia, foram construídas no início do século XVIII.

Mesmo com tudo isso, ainda temos uma desconfiança inata a respeito de edifícios altos construídos com madeira, e a sensação é de que eles vão ruir em chamas na primeira faísca. Essa desconfiança é, em partes, um legado de conflagrações terríveis do século 19, como o “Chicago Fire” de 1871 e o “Boston Fire” de 1872, nos Estado Unidos. Esses desastres levaram à adoção de códigos de fogo que proibiam estruturas de madeira acima de uma cerca altura, acreditando-se que, assim, vidas seriam salvas no processo.

Porém, estamos no século 21, e uma exposição no National Building Museum (Museu Nacional da Construção, em tradução livre), em Washington, nos Estados Unidos, nos desafia a deixar de lado o nosso medo e abraçar o futuro. Os produtos de madeira estrutural que entraram recentemente no mercado não são aqueles de antigamente. As vigas de madeira projetadas foram testadas para serem tão à prova de fogo como o aço, e indiscutivelmente mais, porque seus núcleos são menos prováveis de derreter no fogo. Além disso, esses produtos são também surpreendentemente fortes.

Em 2009, um bloco de apartamentos de nove andares em Londres, na Inglaterra, foi concluído com uma estrutura toda em madeira – paredes, lajes e núcleos de elevador. Construir com madeira moderna exige um processo formal, que começa com o manejo florestal sustentável e a moagem especializada, em estreita colaboração com o arquiteto, e termina com uma montagem relativamente rápida de componentes pré-fabricados. Em outras palavras, a madeira muda a forma como os materiais são obtidos e como os edifícios são construídos. Um clichê usado em excesso parece garantido aqui: uma massa de madeira poderia perturbar as indústrias de design e construção.

Aberta até o dia 21 de maio de 2017, a exposição “Timber City” (“Cidade de Madeira”) ocupa um único quarto longo e parte do corredor adjacente do segundo andar do National Building Museum de Washington. Felizmente a madeira é a mensagem e o design em exibição, e a mostra foi idealizada por Yugon Kim and Tomomi Itakura, do escritório IKD, que tem sede em Boston (EUA). A informação é apresentada em altas tábuas de madeira apoiadas contra as paredes. Grandes pastilhas de madeira, empilhadas como tostões prendem os modelos. É um show para o tato e até para o olfato: os visitantes podem correr as mãos para baixo em um feixe de madeira colada (Glu-lam); contar as camadas em um sanduíche de madeira laminada colada (CLT); ou comparar um painel laminado e a madeira serrada laminada. Grupos de troncos de árvores em cada extremidade da sala permitem que o visitante sinta por um momento o cheiro – e com tanta madeira, a sala cheira muito bem.

Timber City. (Foto: Yassine al Mansouri, Courtesy National Building Museum)

Timber City. (Foto: Yassine al Mansouri, Courtesy National Building Museum)

Dentre os projetos apresentados está um pavilhão carrossel em Stamford, Connecticut (EUA), que está sendo concluído, e uma escola em New Haven, que abriu há alguns meses. Ambos os projetos foram desenvolvidos pela empresa de arquitetura Gray Organschi. O modelo do pavilhão de carrossel mostra as ondulações de madeira laminada colada (CLT) numa cúpula com três claraboias, apoiadas por um feixe de aro de madeira colada (Glu-lam). Outra construção que está em exposição é o Edifício de Design “UMass”, desenvolvido pela Leers Weinzapfel Associates e que está localizado em Amherst, Massachusetts. O projeto também faz grande uso da madeira, incluindo na sala principal um fecho de correr.

carrossel em madeira

Timber City. (Foto Yassine al Mansouri, Courtesy National Building Museum)

Todas essas estruturas não são exatamente arranha-céus; o Edifício de Design, por exemplo, tem quatro andares. Mas a Lever Architecture está desenvolvendo o projeto “Framework”, um prédio de 12 andares, que deve ficar pronto no próximo ano, em Portland (EUA). Este será, até o momento, o edifício mais alto dos Estados Unidos em madeira. O “Framework” e também uma torre de madeira projetada pela SHoP Architects ganharam um prêmio do Departamento de Agricultura do Estados Unidos, que vem promovendo a construção de edifícios altos com madeira – mais uma prova de que a moda não é passageira.

Timber City. (Foto Yassine al Mansouri, Courtesy National Building Museum)

Timber City. (Foto Yassine al Mansouri, Courtesy National Building Museum)

Para um pequeno show, a exposição “Timber City” traz um grande número de informações, e por vezes os visitantes devem querer que o local tenha mais espaço para respirar. O mural de madeira com a linha do tempo em uma das paredes é baseado em uma presunção inteligente: ele apresenta a história da construção com madeira a partir de anéis de árvores concêntricos. Mas, como em outras partes, o texto é pequeno e denso. Um quadro explicando o ciclo de vida da floresta é convincente e realmente parece ser um círculo virtuoso, com árvores colhidas em seu pico de armazenamento de carbono, transformadas com pouco desperdício e substituídas por novo crescimento.

A exposição é patrocinada, em parte, pela indústria madeireira, e se mostra um pouco como um discurso de vendas, mas talvez isso seja mesmo necessário. As indústrias de concreto e aço são enormes e os códigos de construção estão entrincheirados e demoram muito para mudar. Muitos dos primeiros edifícios de madeira obtiveram isenção de código especial. Ainda engatinhando, as construções com madeira poderão ter que gritar mais alto para serem ouvidas. “Timber City” prova que nós todos devemos estar ouvindo.

 

Tradução livre do artigo “A new exhibition showcases modern wood construction” de The Architects Newspaper

————————————————————————————————————————————————————————-——–

 

“Por um mundo mais sustentável, com mais madeira. Apoie essa ideia!”

Compartilhe
Voltar para Notícias

Cadastre seu email e receba nossa newsletter