A FLORESTA EFICIENTE

16 de Fevereiro de 2017

Florestas exploradas ou florestas intocadas? O que ajuda mais a natureza?
Para muitos países europeus a resposta está na primeira opção.
A partir de 2005, quando entrou em vigor o protocolo de Kyoto, países da Europa aceleraram o reflorestamento e a preservação das florestas. E a forma encontrada foi conceder áreas à iniciativa privada com um acordo simples. Estas empresas cuidariam para manter a floresta em pé e, em troca, poderiam explorar de forma sustentável a área, principalmente a extração da madeira.

Como forma de incentivo, países como Alemanha e Suécia criaram leis exigindo que novas construções utilizassem a madeira como principal matéria-prima. Duas décadas se passaram e a Europa comemora os resultados. O continente ficou muito mais verde e o uso da madeira na construção explodiu, gerando novos empregos.

Além disso, o Parlamento Europeu aponta que florestas com manejo sustentável têm hoje maior capacidade de absorção de gás carbônico do que aquelas que não adotam a prática.

É com base em experiências como esta da Europa que muitas organizações defendem uma política ampla de adoção do manejo sustentável e do uso de madeira na construção como forma de preservar as florestas brasileiras.

 

A série “Construção Mais Sustentável” é uma parceria entre o Sintonia Social e o portal Madeira e Construção.
Escute o áudio

 

Por Rulian B. Maftum escritor, jornalista, especialista em comunicação e mestre em Tecnologia. Produtor e apresentador de programas de rádio e TV. Professor de pós-graduação em disciplinas nas áreas de comunicação, sustentabilidade e responsabilidade social.

 

 

LEIA MAIS

COMO SERÃO AS CASAS DO FUTURO?

ÁRVORES NO CHÃO, FLORESTA EM PÉ


*Todos os conteúdos podem ser reproduzidos, desde que citada a fonte original: Portal Madeira e Construção

 

“Por um mundo mais sustentável, com mais madeira. Apoie essa ideia!”

Compartilhe
Voltar para Notícias

Cadastre seu email e receba nossa newsletter