Inglaterra planeja construir estádio 100% em madeira

21 de novembro de 2016

Proposta é que o espaço seja autossustentável

A Inglaterra se prepara para construir um estádio de futebol sustentável e 100% em madeira. O espaço abrigará o Forest Green Rovers Football Club, que disputa a quinta divisão do campeonato inglês, e será projetado pelo escritório de arquitetura Zaha Hadid, responsável por cinco estádios para a Copa do Mundo no Catar, em 2022.

O Forest Green se auto intitula como o “clube mais verde do mundo” e, por isso, o projeto, batizado de The New Lawn, será 100% autossustentável e dará lugar a cinco mil torcedores. No teto da arquibancada, 170 painéis solares irão captar a energia, que será utilizada, entre outras coisas, para abastecer o robô que tomará conta do gramado. Esse mesmo dispositivo também ficará responsável por produzir adubo orgânico para fertilizar a grama, acabando, assim, com a necessidade de utilização de produtos químicos, que não são permitidos. A tinta utilizada nas pinturas também é orgânica e todos os tapetes são feitos de produtos reciclados. Além disso, um enorme depósito será colocado num dos topos do estádio para acumular a água da chuva, e o sistema que rega o gramado é extremamente inovador e permite a renovação do dispositivo para que nenhuma gota de água seja desperdiçada.

Tudo isso foi pensado depois que o time consultou seus torcedores, os “diabos verdes”, que aprovaram a ideia.  Mas a preocupação com o meio ambiente não para por aí, e se mostra presente até mesmo na locomoção dos jogadores. O clube calculou que, no total, os atletas percorrem aproximadamente 16 mil quilômetros por semana. Por isso, o Forest Green adotou três medidas: passou a incentivar um rodízio de caronas; alguns dos dirigentes passaram a utilizar carros elétricos; e o clube ainda ofereceu locais com quartos para que parte dos atletas não precisasse se locomover de carro.

estadio 3

Segundo Dale Vince, presidente do Forest Green Rovers, o clube “é o mais verde do futebol mundial” e, por isso, precisava trazer a mensagem ecológica para uma grande audiência. Então, nada melhor do que utilizar um dos esportes mais amados do mundo para isso.

“Para mim, é determinante que o clube possa ser auto-sustentável na gestão da energia e transportes. Daí a aposta na energia solar e nos automóveis elétricos. O que realmente merece destaque sobre este estádio é que ele vai ser inteiramente feito de madeira – o primeiro do mundo. A importância de usar madeira não tem apenas a ver com o fato de ser um material natural; a madeira também tem um baixo teor de carbono, tão baixo quanto é possível num material de construção civil. Quando pensamos que ¾ do impacto de carbono vitalício de qualquer estádio vem dos seus materiais de construção, percebemos a importância deste projeto. É por isso que nosso novo estádio terá menos teor de carbono do que qualquer outro estádio no mundo”, disse.

estadio 2

Parque ecológico

O projeto da empresa de arquitetura Zaha Hadid prevê também, além de um estádio de futebol, um parque tecnológico, que deverá gerar aproximadamente quatro mil empregos. Este parque será dividido em duas partes: uma delas será a de instalações desportivas, que inclui o novo estádio, gramas e todas as condições meteorológicas, campos de treino, instalações multidisciplinares publicamente acessíveis e um hub de ciência do esporte; a segunda metade servirá como um parque empresarial, com escritórios comerciais de forma sustentável e unidades industriais leves. Somente o novo estádio do Forest Green custará em torno de 100 milhões de libras.

Por Portal Madeira e Construção
Imagens divulgação

Compartilhe
Voltar para Notícias

Cadastre seu email e receba nossa newsletter