Capacitações, rastreabilidade e parcerias em 2017

16 de Janeiro de 2017

Programa abrirá novas frentes de trabalho para ampliar discussão sobre o uso da madeira de forma sustentável

Os responsáveis pelo Programa Madeira é Legal, iniciativa que busca promover o uso responsável da madeira na construção civil brasileira, já tem definidas algumas ações para o ano de 2017. Além de dar continuidade a algumas estratégias de anos anteriores, serão abertas novas “frentes de trabalho” que vão focar esforços na rastreabilidade da madeira e em assuntos como empreendedorismo e inovação com foco na sustentabilidade.

Uma das estratégias que serão retomadas ano que vem diz respeito ao ciclo de palestras junto ao shopping Casapark, em Brasília (DF). Em 2016, o Madeira é Legal e o centro de compras organizaram, junto a várias outras instituições, uma mostra dedicada ao arquiteto José Zanine Caldas e um ciclo de palestras de teor acadêmico e profissional – ambas foram sucesso de público e devem dar origem a novas atividades para 2017.

Outra estratégia que será retomada é a presença em feiras especializadas. Assim como nos últimos dois anos, o Madeira é Legal quer estar na Greenbuilding Conferência Internacional e Expo, a ExpoGBC, a maior feira de construção sustentável da América Latina. Em 2016, 1,3 mil pessoas visitaram o nosso estande, promovendo parcerias e trocando ideias sobre o uso da madeira na construção.

Estande

Entre as novidades que virão, está previsto, para o primeiro trimestre do ano, a inauguração do estande do WWF- Brasil dentro do shopping Casapark. Colocando em prática os conceitos de sustentabilidade e reuso, a estrutura será construída com madeiras já beneficiadas, que foram utilizadas no segundo semestre de 2016 na fachada da Casa Cor Brasília.

Este espaço deve ter uma área de 100 metros quadrados e deve comportar um público de até 20 pessoas. Terá estrutura para monitores, fones de ouvido, bancos e arquibancadas, e estantes e prateleiras para exposição de fotos, livros, publicações e amostras.

O objetivo é que o WWF-Brasil use este espaço para se aproximar da sociedade brasiliense e para promover suas campanhas, como a Hora do Planeta e o Adote uma Espécie.

Prefeituras

Em abril, o Madeira é Legal participa da quarta edição do Encontro dos Municípios com o Desenvolvimento Sustentável. Promovido pela Frente Nacional de Prefeitos (FNP) também em Brasília, no Estádio Mané Garrincha, esse evento busca reunir chefes do Executivo de todo o País para discutir o financiamento e governança das cidades brasileiras.

Neste evento, o Madeira é Legal vai levar empresas envolvidas com construção sustentável e uso responsável da madeira para expor seus produtos, apresentar seus processos, fechar negócios e estabelecer parcerias com os prefeitos.

Um tema que será importante para o Programa, ao longo de 2017, será “rastreabilidade”. Ele diz respeito à possibilidade de verificação da origem das madeiras – de onde vem, em que quantidade vem, de quais cidades saem e qual o volume da carga retirada da natureza.

A rastreabilidade garante a transparência no uso do recurso florestal e também ajuda a reduzir o desmatamento ilegal, melhorar o setor madeireiro, mitigar efeitos das mudanças climáticas e promover benefícios sociais.

Algumas experiências-piloto, que estão sendo gestadas e logo virão a público, buscam gerar valor e melhorias nas cadeias produtivas da madeira no Pará e no Mato Grosso.

Inovações

“O mote dessas iniciativas é: como podemos gerar inovação e industrialização na Amazônia? O que a gente pode melhorar na indústria no Norte e no Centro-Oeste do País?”, pergunta Ricardo Russo, analista de conservação do WWF-Brasil.

Segundo Russo, um dos objetivos do Madeira é Legal para 2017 será gerar e disseminar inovações voltadas para a área da sustentabilidade. “Queremos nos posicionar como catalisadores de inovações sustentáveis e trazer inovações para a nossa área de atuação. O empreendedorismo sustentável é uma realidade. A questão da madeira na construção tem tudo a ver com construções sociais e saneamento básico, por exemplo, e queremos estabelecer links e pontes entre todos esses temas”, explicou Russo.

Benefícios ambientais

O WWF-Brasil entende que, utilizada da maneira adequada, a madeira reduz o tempo de construção; promove a diminuição do tempo e de resíduos no canteiro de obras e dá efeito visual diferenciado às estruturas que compõe. Ela também é um material mais leve e de fácil manuseio.

Além disso, a madeira pode ajudar na gestão e conservação das florestas brasileiras; auxilia na manutenção da biodiversidade e é uma ferramenta no combate aos prejuízos causados pelas mudanças climáticas – a madeira estoca carbono que seria lançado na atmosfera e agravaria os problemas climáticos existentes hoje.

 

————————————————————————————————————————————–

Parceiro

O Programa Madeira é Legal é um dos parceiros do Portal Madeira e Construção para geração de conteúdo e disseminação de informações acerca do uso da madeira na construção civil.

 

“Por um mundo mais sustentável, com mais madeira. Apoie essa ideia!”

Compartilhe
Voltar para Notícias

Cadastre seu email e receba nossa newsletter