Madeira é Legal faz balanço das iniciativas de 2016

21 de dezembro de 2016

Ações focaram em capacitações, novas parcerias e disseminação de tecnologias

2016 foi um ano bastante produtivo para os responsáveis pelo Programa Madeira é Legal – além de darem sequência a estratégias bem-sucedidas de anos anteriores, nos últimos dozes meses foi possível estabelecer novas parcerias e abrir novas frentes de atividades para a promoção do uso sustentável e responsável da madeira na construção.

Segundo o analista de conservação do WWF-Brasil, Ricardo Russo, um dos mais importantes feitos do último ano foi divulgar as novas tecnologias existentes no uso da madeira – que permitem que esta matéria-prima seja usada de maneiras criativas e arrojadas.

“Existem processos, como o wood frame e madeira laminada colada, que ainda são pouco usados no Brasil. Creio que em 2016 conseguimos falar mais e melhor sobre eles, e mostrar as oportunidades que trazem para o nosso setor industrial”, disse Ricardo.

Concurso

A primeira grande ação do Madeira é Legal em 2016 foi a participação no Ebramem (Encontro Brasileiro em Madeiras e em Estruturas de Madeira), ocorrido em Curitiba (PR) no mês de março.  Além de ter sido um dos patrocinadores do evento, o Programa Madeira é Legal também apoiou financeiramente o Prêmio Ebramem/WWF de Arquitetura em Madeira.

Este concurso premiou projetos arquitetônicos que usassem a madeira de forma inteligente, responsável e sustentável. Ao final, foram premiados o projeto residencial da Vila Tanguaí, de Carapicuíba, interior de São Paulo; e um projeto de bicicletário todo feito em madeira, de responsabilidade da estudante Karina Kimura. No total, foram inscritos no certame 52 projetos, vindo de todo o país.

José Zanine e Feicon

No mês de abril, em Brasília (DF), o Madeira é Legal foi um dos articuladores da mostra Madeira Sustentável – Arquitetura e Design, que celebrou a obra do arquiteto José Zanine Caldas. Ele utilizou madeira em muitas de suas obras, alegando que ela era um material sustentável e contribuía com a criação de uma identidade brasileira na arquitetura. A mostra, ocorrida no shopping Casapark, na capital federal, reuniu filmes, reedição de livros e três exposições distintas.

Ainda em abril, o Programa esteve presente, mais uma vez, na Feira Internacional da Construção Civil (Feicon/Batimat), em São Paulo (SP). Na ocasião, 2,6 mil pessoas – de 26 estados e 10 países diferentes – visitaram o estande do Programa, que levou para o evento uma estrutura de madeira modular, desmontável e reutilizável. Este número representa um aumento de 160% em relação ao mesmo público de 2015.

Além de um local de exposição de produtos e serviços, o estande serviu de palco para 15 eventos diferentes, a maior parte deles de teor acadêmico ou técnico voltado para a disseminação das vantagens e benefícios do uso responsável da madeira na construção civil.

 

Expo GBC e Casa Cor Brasília

Em agosto, o Programa se fez presente novamente em São Paulo – desta vez para a Greenbuilding Conferência Internacional e Expo, a Expo GBC, tida como a maior feira de construção sustentável da América Latina. Mais uma vez, o estande desmontável esteve lá, assim como as palestras, oficinas e capacitações – que somaram nove eventos. Na Expo GBC, 1,3 mil pessoas visitaram o estande do Madeira é Legal.

Ainda no início do segundo semestre, o Madeira é Legal iniciou uma parceria com o portal de notícias Madeira e Construção, de Curitiba (PR). O portal vai ajudar na produção e disseminação de conteúdo sobre o assunto, divulgando cases de sucesso, formando massa crítica sobre o tema e construindo um debate público mais amplo e qualificado.

Entre setembro e novembro, o Programa Madeira é Legal participou da Casa Cor Brasília. O programa ficou imbuído da construção da fachada do evento, que foi feita em parceria com a empresas Spirale Arquitetura e Soluções Sustentáveis, Casa Certa Construções Especiais, Rewood e MadeFreitas.

A estrutura, construída utilizando um misto de madeira laminada colada e madeira tropical de origem rastreada – e que também será reutilizada – foi vista por cerca de 30 mil pessoas e foi destaque em publicações da Editora Abril, proprietária da marca Casa Cor, e em revistas especializadas de arquitetura e construção.

Fachada Casa Cor Brasília

Fachada Casa Cor Brasília

Ciclo de palestras

O sucesso da mostra sobre Zanine Caldas fez com que o shopping Casapark se interessasse em receber, ao longo do ano, mais eventos sobre uso de madeira na arquitetura.

Para atender esta demanda, foi criado o ciclo de palestras Madeira na Construção – Material do Futuro, realizado entre setembro e novembro. Ele consistiu numa série de seis palestras somadas a visitas técnicas que mostraram, na prática, como se dá o uso de madeira em obras.

Ciclo de palestras Madeira na Construção – Material do Futuro

Ciclo de palestras Madeira na Construção – Material do Futuro

As palestras focaram em conceitos de sustentabilidade e tecnologia e, entre os lugares visitados, estiveram a Academia Unique, o Centro de Excelência do Cerrado – Cerratenses e o Centro de Pesquisa e Aplicação de Bambu e fibras Naturais da Universidade de Brasília (CPAB/UnB). Cerca de 400 pessoas, entre estudantes e profissionais, participam dessas atividades.

Presença digital

Em novembro, o Programa aportou em solo carioca. Durante o Morar Mais Rio – uma das mais importantes mostras de arquitetura e decoração de baixo custo do país – o Madeira é Legal promoveu um “dia de palestras” em que foram divulgados os benefícios e oportunidades do uso da madeira na construção.

No final do ano, em dezembro, o Programa Madeira é Legal investiu nas redes sociais: além de lançar seu novo site – hospedado no www.wwf.org.br/madeiraelegal – foi também o momento de lançamento da web série “Tudo o que você queria saber sobre madeira”, que buscou desmistificar várias ideias sobre o uso da madeira. Até o dia 20 de dezembro, os cinco vídeos lançados, e disponibilizados nas redes sociais do WWF-Brasil e de parceiros, já somavam mais de 147 mil visualizações.

Parcerias

O analista de conservação do WWF-Brasil Ricardo Russo contou que a “divulgação dos sistemas de construção” (ou seja, a divulgação de novas tecnologias e novos jeitos de usar a madeira) foi o grande foco do Madeira é Legal em 2016.

“Também conseguimos ficar mais próximos de empresas e disseminar uma série de conhecimento para arquitetos, dando palestras e mostrando coisas novas que existem no universo da arquitetura e da engenharia”, afirmou.

Ricardo apontou ainda a parceria com diversas empresas como mais um ponto positivo do Madeira este ano. “Todas elas foram muito importantes e mostraram que existe, na iniciativa privada, quem veja o uso responsável da madeira como um campo a ser melhor explorado pelos profissionais brasileiros. Estiveram conosco a ITA Construtora, a Rewood, a Tecverde, a Spirale, a Casa Certa, a IndusParquet, a Anggulo Comunicação Estratégica e o Portal Madeira e Construção. Todas essas parcerias nos levaram a lugares diferentes e abriram portas para nossas ideias e os conceitos”, explicou o especialista.

Benefícios ambientais

O WWF-Brasil entende que, utilizada da maneira adequada, a madeira reduz o tempo de construção; promove a diminuição do tempo e de resíduos no canteiro de obras e dá efeito visual diferenciado às estruturas que compõe. Ela também é um material mais leve e de fácil manuseio.

Além disso, a madeira pode ajudar na gestão e conservação das florestas brasileiras; auxilia na manutenção da biodiversidade e é uma ferramenta no combate aos prejuízos causados pelas mudanças climáticas – a madeira estoca carbono que seria lançado na atmosfera e agravaria os problemas climáticos existentes hoje.

Por Assessoria WWF-Brasil para o Portal Madeira e Construção

Compartilhe
Voltar para Notícias

Cadastre seu email e receba nossa newsletter