Do que é feito o bem-estar em um ambiente?

20 de Fevereiro de 2018

Quando você pensa sobre locais que te trazem sensações de bem-estar, consegue perceber quais elementos compõem este ambiente?

Faça esse exercício, experimente fechar os olhos por alguns segundos e pensar num lugar aconchegante ou que lhe traga memórias felizes.

Qual é a cor da luz desse espaço? É um local com muitos objetos ou poucos? Trata-se de uma construção humana ou uma área em meio à natureza?

Independentemente das suas respostas, farei algumas apostas sobre a sua visualização:

  • Muito provavelmente se trata de um ambiente limpo, iluminado e organizado. Muitos estudos comprovam que o lixo no meio ambiente ou a bagunça dentro de nossas casas e escritórios podem fazer mal. Mas deixando um pouco a ciência de lado e olhando para a intuição, é praticamente impossível um ser humano sentir-se bem em meio ao caos.
  • Minha segunda aposta é que esse lugar te trouxe uma memória olfativa, um aroma. Seja de orvalho, floresta, bolo recém-saído do forno, pão quentinho, café, flores, roupa limpa. Aqui temos um outro ponto importante sobre nosso tema de hoje: quão relevante é a impressão aromática que gravamos por todos os lugares onde passamos.
  • O terceiro e último palpite é que neste lugar que sua memória ou imaginação te levou, havia muitos elementos naturais, como plantas, pedras, água, solo a céu aberto e a preciosa madeira, seja em forma de árvores ou compondo a construção de um local fechado e sua mobília.

Ao planejar nossas moradas e abrigos, muitas vezes nos atemos às questões práticas e super importantes, como orçamento, prazo e qualidade. Porém, defendo a opinião que o bem-estar proporcionado por este local que se está construindo é tão impactante quanto. Se pensarmos em projetos com ganhos no longo prazo, consequentemente levaremos o quesito bem-estar em consideração e este ganhará importância talvez até maior que um dos demais fatores mencionados.

A planta baixa de um ambiente deve ser estruturada sempre levando em consideração o fluxo de movimentação das pessoas que utilizarão o espaço, facilitando a ergonomia e respeitando as necessidades intrinsicamente humanas, assim como proporcionando facilidade na organização dos objetos.

A circulação de ar é outro fator importante e está atrelado ao que foi citado sobre memória olfativa. Sempre que possível, deve-se priorizar a entrada de ar vindo de áreas arborizadas, facilitar a renovação do ar em cozinhas e banheiros e permitir que o ar esteja sempre se renovando sem encanar.

No momento de escolher os materiais construtivos e para compor a mobília, temos a madeira como material inovador no Brasil para a construção civil (já amplamente utilizada no exterior) e os móveis, sejam soltos ou sob medida, feitos em MDF, MDP ou madeira maciça. Ao optar por estes materiais, alcançaremos, além do conforto térmico e sensorial, qualidade e longa durabilidade.

O uso da madeira em interiores é outro tema amplo para o qual dedicarei o próximo artigo para o Portal Madeira e Construção no próximo mês, fique atento e nos acompanhe por aqui!

Por Babi Stainsack, designer de interiores e fundadora da Mel e Limonada

Foto: Writers Theatre (Glencoe, Illinois)

Compartilhe
Voltar para Notícias

Cadastre seu email e receba nossa newsletter