Pavilhão de madeira será construído em parque de artes nos Estados Unidos

31 de Janeiro de 2019

O Tippet Rise Art Center abriga uma série de esculturas em larga escala e passará a contar com mais uma atração para os visitantes

“Uma chuva de luz”. É assim que o arquiteto Diébédo Francis Kéré descreveu a entrada dos raios solares pelo pavilhão de madeira que projetou para o Tippet Rise Art Center, nos Estados Unidos. O espaço de arte fica no Estado de Montana, próximo do Parque Nacional de Yellowstone, e abriga uma série de esculturas em larga escala em meio à fazenda e paisagem de montanhas.

Além disto, o Tippet Rise Art Center conta com apresentações de música clássica – que acontecem em um celeiro especialmente preparado para isto ou a céu aberto – e outras programações artísticas. O visitante pode curtir tudo isso fazendo trilhas, pequenas caminhadas e parando para piqueniques, por exemplo. Mas o percurso também pode ser cumprido com o auxílio de vans.

A preparação para a construção da estrutura começou em janeiro de 2019, segundo informações divulgadas pela administração do espaço de arte. Trata-se de um pavilhão de toras de madeira, que serão empilhadas verticalmente, suportadas por pilares no mesmo estilo. Os visitantes poderão receber a luz por meio dos espaços que ficam entre as juntas das toras. Por isto, o arquiteto chama de “chuva de luz”. Serão usadas madeiras de pinheiros de espécies locais e de origem sustentável.

(Foto: Reprodução / dezeen)

O arquiteto se inspirou em vários elementos da cultura africana para o projetar o pavilhão, que será usado para seminários, atividades de meditação e outros eventos. A referência foi especialmente a cultura Dogon, em Burkino Faso, onde os moradores destas regiões se refugiam do sol em construções chamadas de togunas. Estes espaços também servem de locais para reuniões dos líderes das aldeias, para discutir assuntos com a comunidade.

Já a cobertura foi projetada com uma referência mais local: sua forma ondulada lembra a topografia montanhosa do estado de Montana. As formas orgânicas dos elementos de assento são inspiradas parcialmente em pinturas abstratas da artista e co-fundadora do Tippet Rise Art Center, Cathy Halstead.

(Foto: Reprodução / dezeen)

O pavilhão deve ficar pronto em seis meses, para receber os visitantes do período de verão no hemisfério norte.

Paralelamente, a construção do pavilhão tem um viés social e sustentável. Uma fundação ligada ao Tippet Rise Art Center está apoiando o arquiteto Diébédo Francis Kéré na construção de uma escola ambientalmente sustentável e climaticamente apropriada em Burkina Faso. A escola foi projetada para receber cerca de mil estudantes.

(Foto: Reprodução / dezeen)

Os responsáveis pelo Tippet Rise Art Center declararam que estão entusiasmados em poder ligar a construção do pavilhão de madeira no espaço de artes à escola em Burkina Faso, como uma forma de unir as comunidades.

“No Tippet Rise, queremos que os prédios tenham a integridade material e formal das esculturas e que as esculturas tenham a escala e a presença da arquitetura, com os dois tipos de estrutura profundamente enraizados na experiência da terra e do céu. É por isso que, desde a primeira vez que encontramos o trabalho cativante de Francis Kéré, soubemos que sua arquitetura seria perfeita para o Tippet Rise, e que gostaríamos de apoiar sua iniciativa filantrópica na África Ocidental”, afirmaram Cathy e Peter Halstead.

“Estamos ansiosos para receber novamente nossos visitantes em Tippet Rise neste verão, quando eles poderão explorar a paisagem além do celeiro de música, e se reunir no espaço contemplativo e iluminado pela corrente que Francis Kéré criou”, declararam.

Saiba mais sobre o espaço de arte clicando aqui.

Por Portal Madeira e Construção com informações do portal Madera 21, Dezeen e Tippet Rise Art Center

Compartilhe
Voltar para Notícias

Cadastre seu email e receba nossa newsletter