Prédio em wood frame ganha Prêmio CBIC

16 de dezembro de 2016

Construído pela Tecverde, empreendimento é considerado marco na história da construção do país

O Prêmio CBIC de Inovação e Sustentabilidade premiou, na última terça-feira, 14, a construtora Tecverde em primeiro lugar na categoria Sistema Construtivo, com o projeto do primeiro prédio construído em wood frame do Brasil. O prêmio é uma iniciativa da Câmara Brasileira da Indústria da Construção e acontece há 21 anos, com o objetivo de reconhecer, premiar, e divulgar soluções inovadoras que contribuam para a modernização da indústria da construção brasileira.

“Foi um dia muito importante na história da Tecverde. Temos como missão transformar a indústria da construção civil, tornando-a mais industrializada e sustentável, e este prêmio mostra que estamos caminhando nesta direção, impactando de forma positiva o mercado. Recebermos o prêmio CBIC pela terceira vez mostra não apenas uma iniciativa de inovação, mas a consistência do nosso trabalho. O projeto premiado foi o prédio multifamiliar em wood frame que está abrindo novas oportunidades para o país. Já temos vários projetos em andamento com outras construtoras e com isso esperamos dar uma escala maior para a tecnologia”, comemora José Márcio Fernandes, diretor da Tecverde.

Este é o terceiro ano que a Tecverde é premiada pela CBIC. Em 2012, ficou em segundo lugar e em 2014 conquistou o primeiro lugar na categoria Sistemas Construtivos.

O prédio

A construção do primeiro prédio utilizando esse sistema é considerada um marco por outros atores dos setores da construção e da indústria de madeira. A montagem do edifício de três pavimentos, no município de Araucária, na Região Metropolitana de Curitiba (PR), durou 40 horas, com jornadas de oito horas de trabalho diárias. O empreendimento feito em parceria com a CRM Construtora tem duas torres de edifícios e também poderá ser financiado pelo programa habitacional do governo federal.

Prédio é o primeiro a usar a tecnologia wood frame no Brasil

Prédio é o primeiro a usar a tecnologia wood frame no Brasil

Para o superintendente da Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente (Abimci), Paulo Pupo, as indústrias da construção e de madeira estão diante de novas oportunidades. “Precisamos entender e capitalizar o momento, para consolidar esse método construtivo eficiente e inovador. Mas, para isso, será necessário que os fabricantes de madeira se preparem para atender as exigências técnicas do mercado. Há uma chance real de aumentarmos o consumo per capita de madeira no mercado interno”, afirma.

Na avaliação da Abimci, o lançamento do prédio vem em um momento estratégico. “A ação reforça a importância do desenvolvimento da norma técnica para o sistema wood frame”, acredita Pupo.

Sobre a Tecverde e o wood frame

Localizada em Curitiba e desde 2009 atuando no sul, centro-oeste e no sudeste brasileiro, a Tecverde se baseia em um conceito inovador de construir no Brasil, o wood frame. No início deste ano, a empresa recebeu um sócio investidor, que vai dar o suporte necessário para a Tecverde expandir seus negócios em 2016 e 2017. O fundo norte-americano Global Environment Fund (GEF) fez um aporte de R$ 20 milhões na construtora. “A Tecverde trouxe uma nova parceira, justamente, para se fortalecer para esta fase que vamos viver de crescimento. Estamos nos preparando para atender os maiores players do país. Nosso objetivo é de, até 2017, atender no mínimo de cinco a 10 mil casas por ano, em todos os padrões”, revela Bonatto.

Fábrica da Tecverde em Araucária (PR) / foto: divulgação

Fábrica da Tecverde em Araucária (PR) / foto: divulgação

Com o objetivo de mudar a maneira de construir no Brasil, intensificando a sustentabilidade e a industrialização neste setor, os empreendedores Caio Bonatto, Beto Justus, Lucas Maceno, Pedro Virmond Moreira e Maria Paula Roco Nascimento, entre outras ações, adaptaram o wood frame (que tem a madeira como elemento principal em sua estrutura, perfis, piso e cobertura por meio do uso de painéis e madeira serrada), às necessidades nacionais.

A atuação da Tecverde, inicialmente, ficou voltada para casas de alto padrão. No fim de 2013, recebeu do Ministério das Cidades a liberação do Documento Técnico de Avaliação (DATec), autorizando a realização de obras em wood frame. A medida permitiu também a realização de financiamentos para construções com essa tecnologia.

Este cenário alavancou o uso do sistema construtivo. A Tecverde se tornou parceira de construtoras para a execução de empreendimentos feitos dentro do programa federal Minha Casa, Minha Vida.

 

Por Portal Madeira e Construção com informações da Assessoria de Imprensa

Compartilhe
Voltar para Notícias

Cadastre seu email e receba nossa newsletter