Salvar o planeta é um bom negócio

31 de julho de 2018

Plantar árvores e investir na regeneração de florestas está se tornando um grande negócio.

Como resposta aos compromissos assumidos no Acordo de Paris existem iniciativas em curso em diversos países para plantar e explorar florestas de forma sustentável. O que tem sido um prato cheio para o surgimento de ideias de negócio inovadoras em tudo o mundo.

Nos Estados Unidos a startup TerViva, está usando terras agrícolas abandonadas e improdutivas para plantar um tipo de árvore que precisa de pouca irrigação e que produz óleo que pode ser usado na produção de biocombustível e alimentos.

Em Mianmar, a BioCarbon Engineering está usando drones para replantar rapidamente uma enorme floresta de mangue.

Nos Camarões, a startup Land Life Company desenvolveu uma tecnologia sustentável para tornar viável o crescimento de mudas perto dos campos de refugiados.

Este segmento de negócio baseado em restaurar áreas degradadas e no reflorestamento ganhou o nome de “economia da restauração”. Em um relatório recente (The Business of Planting Trees) o World Resources Institute e a Nature Conservancy apontam que este é um setor com grandes oportunidades no qual mais investidores devem considerar colocar o dinheiro.

Além disso, o crescimento deste tipo de iniciativas é fundamental para o futuro do planeta. Estimativas apontam que projetos de reflorestamento e de restauração da natureza podem contribuir com um terço da meta acertada no Acordo de Paris para redução de emissões até 2030.  Além disso, contribuem com a preservação de espécies animais e de fontes de água potável.

 

Por Rulian B. Maftum escritor, jornalista, especialista em comunicação e mestre em Tecnologia. Produtor e apresentador de programas de rádio e TV. Professor de pós-graduação em disciplinas nas áreas de comunicação, sustentabilidade e responsabilidade social.

Foto: TerViva

Compartilhe
Voltar para Notícias

Cadastre seu email e receba nossa newsletter