Setor madeireiro participa de movimento pela retomada da construção civil

30 de agosto de 2018

Principais instituições representativas ligadas à cadeia da construção civil, entre elas a Associação Brasileira da Indústria da Madeira Processada Mecaniacmente, se unem para propor medidas que destravem o setor

As indústrias brasileiras de madeira, por meio da representação da Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente (Abimci), passam a integrar a ​​Coalizão pela Construção, ação coordenada pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção Civil (CBIC), que reúne 26 das mais importantes associações e entidades da indústria. O objetivo é unir esforços para o desenvolvimento de ações e adotar medidas a fim de destravar o setor e permitir a recuperação da construção civil brasileira. Uma das ações imediatas e de grande repercussão nacional foi a apresentação das demandas do setor produtivo aos principais candidatos à presidência da República pelas entidades que compõem a coalizão.

Na avaliação da entidade, a aliança entre entidades representativas das mais expressivas do país mostra ao poder público e à sociedade a força desse segmento, que tanto contribui para a geração de emprego e renda no país. A expectativa das entidades que integram a Coalizão é de que o próximo governante atue para garantir a segurança jurídica, o acesso ao crédito e, que haja planejamento e estímulo ao capital privado.

Para o presidente da Abimci, José Carlos Januário, a participação da indústria de madeira nesse movimento vem em um momento importante, já que o setor se mostra alinhado às principais demandas do setor produtivo do país. “Esperamos a retomada do crescimento interno, a melhoria do ambiente de negócios, prosseguimento das reformas estruturantes do país, novos financiamentos e investimentos para a produção e renovação tecnológica. Ainda enfrentamos uma baixa competitividade comercial por conta do fator politico, da falta de acordos comerciais e entraves burocráticos, logística portuária mais cara do mundo e baixo nível de investimentos e de crédito. Precisamos avançar de forma significativa em diversas frentes para que a construção civil volte a contribuir com o desenvolvimento do país”, afirma Januário.

As 26 entidades que fazem parte da ​Coalizão pela Construção são:

ABCEM – ​Associação Brasileira de Construção Metálica​
ABCIC – Associação Brasileira de Construção Industrializada de Concreto
ABCON – Associação Brasileira das Concessionárias Privadas de Serviços Públicos de Água e Esgoto
ABCP – Associação Brasileira de Cimento Portland
ABECE – Associação Brasileira de Engenharia e Consultoria Estrutural​
ABIFER – Associação Brasileira da Indústria Ferroviária
ABILUX – Associação Brasileira da Indústria de Iluminação
ABIMAQ – Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos​
ABIMCI​ ​- Associação Brasileira da Indústria de Madeira Processada Mecanicamente​
ABRAMAT – Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção ​
ABRAVIDRO – Associação Brasileira de Distribuidores e Processadores de Vidros Planos ​
AFEAL –  Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio​
ANAMACO – Associação Nacional dos Comerciantes de Materiais de Construção​
ANICER – Associação Nacional da Indústria Cerâmica​
ANFACER – Associação Nacional Fabricantes Cerâmicas Revestimento
ASBEA – Associação Brasileira dos Escritórios de Arquitetura​
CBCA – Centro Brasileiro da Construção em Aço​
CBIC – Câmara Brasileira da Indústria da Construção​
DRYWALL – Associação Brasileira do Drywall
FENAPC – Federação Nacional dos Pequenos Construtores
FORÇA SINDICAL
INSTITUTO AÇO BRASIL
INSTITUTO DE ENGENHARIA
SINAENCO – ​Sindicato da Arquitetura e da Engenharia
SNIC – Sindicato Nacional da Indústria do Cimento​
SINICON – Sindicato Nacional da Indústria da Construção Pesada – Infraestrutura​

Por Juliane Ferreira para Abimci 

Compartilhe
Voltar para Notícias

Cadastre seu email e receba nossa newsletter