Sustentabilidade nas ondas do rádio

18 de Janeiro de 2017

Há dez anos nascia o programa de rádio Sintonia Social com o objetivo de buscar caminhos que contribuam para melhorias comuns a todos

O ano era 2007. O desafio? Falar sobre sustentabilidade em um veículo de comunicação de massa, o rádio. Passados dez anos desde que o primeiro programa Sintonia Social foi ar na rádio Lúmen FM (99.5), em Curitiba (PR), o jornalista Rulian Maftum tem muito a comemorar. Talvez o primeiro motivo seja o de perceber que falar sobre sustentabilidade deixou de ser coisa de “bicho-grilo”, como ele mesmo diz. “Tem sido muito legal ver a evolução de consciência das pessoas em relação a estes assuntos. Pude ver o quanto a sustentabilidade passou a fazer parte da agenda de mais gente. E isso é muito recompensador”, avalia.

Com um texto objetivo e provocativo, o jornalista, especialista em comunicação para o Terceiro Setor, acredita que sustentabilidade é algo amplo. “É um conceito ainda em transformação. Trabalho com a ideia de que sustentabilidade é a busca por caminhos e soluções que provoquem e promovam a adoção de práticas na vida de cada um de nós com objetivo de atingir uma melhora comum a todos”, afirma. A partir desse conceito, os programas passaram a falar também sobre política, educação, saúde, segurança, além de meio ambiente. “As pessoas já estão percebendo isso: de que nada vai melhorar de verdade enquanto não tivermos uma classe política decente. Sustentabilidade no Brasil é principalmente reciclagem. Precisamos reciclar nossos políticos depois que todo o lixo for lavado a jato”, defende. No ano passado, uma série produzida sobre os benefícios e os privilégios que a classe política usufrui no Brasil gerou grande repercussão na rede social do programa.

Mas e na prática? Como sair do discurso e levar as pessoas para a ação? “Sempre fui bastante cético em relação a isso. Não acho que, de uma hora para outra, todo mundo vai se conscientizar de que, ou mudamos nossa forma de nos relacionar com o meio, ou este Planeta não vai dar conta. Por outro lado, a natureza é tão maravilhosa que o tempo todo nos dá caminhos para mostrar que é possível viver de forma sustentável”, afirma o jornalista.

Na avaliação de Rulian, o Brasil ainda precisa avançar muito no tema da sustentabilidade, principalmente, porque faltam conexão entre as ações e um plano de longo prazo. “O país pode ser um líder mundial em uma economia baseada na sustentabilidade, mas esses assuntos precisam estar no centro do desenvolvimento econômico”, defende.

Por outro lado, ele acredita que temos adotado práticas corajosas, principalmente, em relação à preservação das florestas. “A ideia de manejo sustentável nasceu aqui. Afinal, é melhor explorar de forma adequada e legalizar isso? Ou proibir tudo e ficar refém dos pilantras? Quem fiscaliza, e como? Ainda hoje recebemos muitas críticas dos países ricos em relação a algumas práticas de preservação. Não podemos esquecer que quase todas essas nações que posam de bacanas praticamente destruíram toda a natureza que tinham, não faz muito tempo. Então é preciso tomar cuidado quando apontam o dedo para o Brasil, principalmente em relação à Amazônia”, afirma.

Para o jornalista, as pessoas precisam entender que para ter uma vida mais consciente, não é preciso abrir mão dos confortos da vida moderna. “Entre os extremos há um caminho do meio cada vez mais viável. E é isso que procuro mostrar”.

Coletânea

lançamento reflexões

Grande parte do conteúdo produzido ao longo desses dez anos para o rádio vai estar disponível a partir do dia 4 de março no livro “Reflexões sobre o fim do mundo”. A publicação está organizada em cinco capítulos, com 250 textos. “Fazer essa seleção foi uma viagem no tempo muito bacana. Inclusive para mostrar o quanto nós já avançamos em diversas questões. Sempre gosto de dizer que somos de uma geração muito mais consciente do que nossos pais e avós foram. E que nossos filhos serão muito mais do que nós”, afirma o jornalista.

Viabilizado por meio de financiamento coletivo, o livro conta também com o patrocínio de algumas empresas, entre elas o Portal Madeira e Construção. “A publicação está alinhada à missão e aos valores do Portal. Por isso, não poderíamos ficar de fora dessa iniciativa que tem como foco central a sustentabilidade. O objetivo é em 2017 participar ativamente de outras ações tão interessantes e sérias como essa do Sintonia Social”, afirma a editora do Portal, Juliane Ferreira.

Por meio dessa parceria, será produzida uma série de programas sobre o uso da madeira na construção que irá ao ar no Programa da Rádio Lúmen FM (99.5). “A ideia é levar para o grande público informação sobre esse tema e mostrar os benefícios de ter essa matéria-prima também como uma opção sustentável”, explica Juliane.

Serviço:
Lançamento Livro “Reflexões sobre o fim do mundo”
Dia 04 de março (sábado)
A partir das 11h
Local: Arte e Letra – Rua Dom Pedro II, 44 – Batel
Até a data de lançamento do livro é possível comprar a publicação pela internet: livrosintoniasocial.eventbrite.com/.

O Programa Sintonia Social vai ao ar na Lúmen FM (99.5)
De segunda a sexta | 8h30, 17h30 e 21h30
Sábado e domingo | 17h30 e 22h30

Clique e OUÇA os áudios do Sintonia no Soundcloud
Acompanhe no Facebook: www.facebook.com/sintoniasocial/

Compartilhe
Voltar para Notícias

Cadastre seu email e receba nossa newsletter