UM MICO JAPONÊS

30 de junho de 2017

Os Jogos Olímpicos mais sustentáveis de todos os tempos. É isso que promete o governo do Japão, país que será a próxima sede do evento, em 2020.

E a cereja deste bolo é o Estádio Olímpico de Tóquio, uma obra de quase R$ 5 bilhões que terá uma série de características sustentáveis.

A principal delas inspirada na tradicional arquitetura japonesa, já que o estádio será quase todo feito em madeira.
O problema é que boa parte desta madeira que dará forma ao Estádio Olímpico pode ser resultado de desmatamento ilegal na Malásia.

Tribos indígenas malasianas e ONGs que trabalham por lá garantem que grande parte da matéria prima foi adquirida de empresas acusadas de desmatamento ilegal e violação dos direitos humanos.
Por outro lado, o Comitê Olímpico Internacional afirma que toda a madeira comprada pelo Japão é certificada e sustentável.

E assim, o que prometia ser um grande exemplo ambiental, pode virar um grande mico.

 

Por Rulian B. Maftum escritor, jornalista, especialista em comunicação e mestre em Tecnologia. Produtor e apresentador de programas de rádio e TV. Professor de pós-graduação em disciplinas nas áreas de comunicação, sustentabilidade e responsabilidade social.

 

LEIA MAIS

COMO SERÃO AS CASAS DO FUTURO?

ÁRVORES NO CHÃO, FLORESTA EM PÉ

A FLORESTA EFICIENTE

 

*Todos os conteúdos podem ser reproduzidos, desde que citada a fonte original: Portal Madeira e Construção

 

Compartilhe
Voltar para Notícias

Cadastre seu email e receba nossa newsletter