Casal constrói casa biossustentável

20 de junho de 2017

Construção durou cerca de três anos e utilizou, entre outros materiais, madeira de floresta plantada

Um casal de Guaraciaba, cidade localizada no Oeste de Santa Catarina, resolveu inovar e construir a própria residência. A proposta era simples: uma casa biossustentável que seguisse o estilo de vida dos dois e também seus ideais. Tudo começou em 2011, quando Ricardo Scalco e Letícia Sanzovo colocaram no papel as principais ideias para a casa e o que seria possível ser feito. Para isso, muitas pesquisas levaram o casal à bioconstrução, um modelo baseado no princípio de construção com impacto ambiental muito baixo. Além da pesquisa, eles também visitaram outros lugares com essa proposta para chegar a um denominador comum. Os principais materiais utilizados foram a madeira de floresta plantada e de demolição, barro, garrafas de vidro, materiais recicláveis e até galhos de árvores. Até a casa ficar pronta, foram três anos, e o gasto estimado ficou em torno de R$ 60 mil, valor até quatro vezes menor do que o de uma construção convencional.

Segundo Ricardo e Letícia, o objetivo deles era ter uma casa confortável, ecologicamente correta e em harmonia com o meio ambiente, utilizando materiais disponíveis no próprio entorno. Dessa forma, eles conseguiram construir a casa com as próprias mãos. As paredes foram feitas de barro, e até encontrar a mistura correta, aquela que fosse estável e segura, eles estudaram diversas opções e testaram sete tipos. O casal também utilizou madeiras de eucalipto e pinus, provenientes de plantios florestais feito pelo pai de Ricardo, que serviram de sustentação para paredes, assoalho e telhado, bem como tijolos, pedras e aberturas, que foram reaproveitadas de demolição. Além disso, eles apostaram no telhado verde, que também traz conforto térmico e acústico. Da construção convencional eles usaram apenas ligação elétrica e hidráulica. Por conta do telhado verde, a temperatura no verão varia entre 20° e 21° C, enquanto que no inverno, não baixa de 17° C.      

Eles já estão morando na casa há mais de dois anos e garantem que fizeram a escolha certa, justamente pelo prazer de viver em harmonia com a natureza. Ricardo e Letícia contam que enfrentaram barreiras e muita resistência das pessoas próximas e da comunidade. Por isso, tiveram que “quebrar um padrão”. Atualmente, a casa recebe muitas visitas, principalmente de escolas da região, para troca de informações e ideias. Para o futuro, o plano é construir uma escola para abrigar pessoas com o interesse de compartilhar, conhecer a bioconstrução e a produção orgânica. A agenda dos dois está lotada para este ano, mas eles garantem que não estão fazendo nada sozinhos, justamente porque têm o objetivo de trazer mais pessoas para essa discussão.

Bioconstrução

Por ser um tema que está se tornando cada vez mais popular no mundo e também no Brasil, o Ministério do Meio Ambiente disponibilizou uma cartilha gratuita online para capacitar e informar sobre o tema, tudo pensando em promover o conceito e apresentar técnicas práticas. A cartilha, criada para um curso do Programa de Apoio ao Ecoturismo e à Sustentabilidade Ambiental do Turismo (Proecotur), traz informações ricas para quem quer conhecer a bioconstrução, bem como detalhes de diferentes técnicas sustentáveis e ambientalmente corretas de construção. O material oferece opções para que as comunidades tenham autonomia e sejam capazes de garantir suas necessidades a partir de técnicas tradicionais, sem a dependência de outros grupos. Outro ponto de destaque é a proposta de utilização de materiais locais, como terra, pedra, palha e madeira. Com a publicação, o Ministério espera ajudar na mudança de paradigmas. O próximo passo será apostar na observação das condições climáticas, para que os elementos naturais, como o sol e o vento, sejam usados como aliados em uma construção.

Por Portal Madeira e Construção com informações do G1 e Ciclo Vivo
Fotos: Eveline Pôncio/RBS TV

Compartilhe
Voltar para Notícias

Cadastre seu email e receba nossa newsletter